Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4
Acessibilidade 5 Alto contraste 6

História

Publicado em 30/03/2016 às 16:20 - Atualizado em 08/04/2016 às 10:52

História do Município de Xaxim

 

No ano de 1920, o local em que xaxinenses viviam hoje, era quase que completamente, mata virgem. Foi neste ano que os irmãos Lunardi, GIÁCOMO, PEDRO, JOÃO E ANTONIO fizeram uma sociedade colonizadora e animados em conhecer a Fazenda "Rodeio Bonito" da Bertaso, Maia e Cia. enviaram LUIZ LUNARDI para avaliar o que eles poderiam fazer como pioneiros desta terra. É importante lembrar que quando os primeiros colonizadores chegaram, já havia diversos caboclos aqui instalados. Tem-se notícias de que o primeiro caboclo teria chegado no ano de 1865, o africano JOSÉ BALDUÍNO e esposa MARIA VITALINA. José teria vencido a "Guerra em Guarapuava" e recebido dinheiro e dois lotes militares. Mais tarde, perdera as terras por não pagar os impostos ao Governo. Sabe-se, também, que já havia alguns proprietários de terras nesta região, pois encontram-se registros de compra e venda de terras no ano de 1918 e um outro registro de 1921 (data posterior a aquisição das 1000 colônias pelos Irmãos Lunardi) de terras que não pertenciam à colonizadora. No entanto, não havia propósito algum de colonizar a região, progredindo-a. Foi a colonizadora formada pelos irmãos Lunardi que se propôs a vender lotes, das 1000 colônias adquiridas de Bertazo, Maia e Cia., para colonos gaúchos que tornariam as terras produtivas.

 

Em 1922, chega ANTONIO STIEVEN e família, JOÃO FUCCINA e família e ANTONIO PETUCO, empregado pessoal de Luiz Lunardi, PEDRO e JOSÉ GIOTTO e esposa, DIRCE.

 

Nesta mesma época chega os Irmãos GEREMIAS contratados pela colonizadora para serrar a madeira (a madeira era cerrada a mão). Os RECK aqui vieram para construir, com a madeira cerrada pelos Geremia, a primeira casa comercial de Xaxim. A casa foi construída com o objetivo de amenizar as dificuldades dos imigrantes que aqui estavam e assim, trazer novos colonos para povoar a região. Além da distância, não havia qualquer espécie de recursos (estradas, assistência médica ou hospitalar) com a Casa dos Irmãos Lunardi, o povoamento passou a ter sal e óleo de rícino com maior facilidade.

 

Em 1925, VIRGÍNIO GIACHINI chega a Xaxim e compra terras no Ervalzinho. Em 1926, Chega SILVIO LUNARDI para aumentar o comércio de compra dos produtos agrícolas, porcos e banha e venda de secos e molhados, ferragem, fazenda(tecidos) e remédios. Os primeiros foram muito difíceis para os imigrantes. Muitos vieram e voltaram mas os que se desafiaram, conseguiram estabelecer objetivos. No decorrer dos anos, mesmo em meio a muitas dificuldades, imigrantes continuaram a vir para cá aumentando o comércio local. Também em 1926, chegou MARIETA LUNARDI DAL'BELO e esposo, era alfaiate. Instalaram a primeira Casa de Pasto, casa semelhante a um hotel, oferecendo refeições aos hóspedes e pasto aos animais. A família FOLLE também chegou em 1926. Instalando-se na vila Florindo Folle, conhecida na época como Lagoa da Pedra e deu início a um barbaquá e um monjolo, o que possibilitou maior produção e exportação de erva. No início a extraísse erva nativa, mais tarde, passou-se a cultivar plantações de ervais. Sem muita clareza da data de chegada da família de FRANCISCO OGLIARI, por volta de 1925/1926, sabe-se que se estabeleceram com bodega e mais tarde abriu uma fábrica de licor com alambique de cachaça. Em 1927, chegou ANGELO SARTORI e aqui colocou a primeira serraria, a máquina era de fabricação alemã e movia a vapor gerada pela queima de lenha.

 

No final da década de 20, no ano da visita do governador Adolpho Konder a Xaxim, 1929, (até então denominado "Hercílio Luz", depois desta data passando definitivamente ao nome Xaxim, pois plantaram xaxim e o governador surpreendeu-se com a quantidade da planta), podíasse encontrar em Xaxim, um engenho de serra, uma fábrica de moer café, uma ferraria, uma sapataria, uma alfaiataria, uma barbearia, uma fabrica de gasosas, licores e cachaça, um moinho de trigo, uma casa comercial, uma escola mista e um Clube Recreativo.

 

Sabemos que muitas outras famílias imigrantes fazem parte deste importante período. Mesmo não sendo mencionados por falta de informações, conhecemos e valorizamos a importância de cada uma delas. Neste texto destacamos os primeiros acontecimentos e o início do desenvolvimento a partir da colonização, valorizando e engrandecendo a todos que pertenceram e construíram estas primeiras duas décadas.

 

 

 

A crise e o desenvolvimento

 

O início da década de 30 foi marcado pela crise iniciada em 1929 e pela Revolução de 30, Golpe da Erva-mate como ficou conhecida na região,que afetou de forma imparcial os moradores de Xaxim.O progresso ficou comprometido ao longo de aproximadamente quatro anos. Diversos colonos, com medo de possíveis roubos dos animais de carga e de prejuízos financeiros entre outros, retornaram aos locais de origem e nunca mais voltaram para Xaxim.

 

Passado o período difícil, Xaxim retorna ao crescimento. Os estabelecimentos que conseguiram resistir recuperaram com força o ritmo das atividades e novos empreendimentos tiveram início.

 

Em 1934, a sociedade colonizadora Irmãos Lunardi se desfaz. As terras, que ainda restavam depois de 14 anos de colonização, foram divididas entre os quatro integrantes:Pedro, João, Antonio e Giacomo.

 

Em 1936, nascia a idéia de instalar uma nova indústria em Xaxim: O Frigorífico Diadema. Esta empresa iniciou suas atividades em 1939, gerando 50 empregos. O sucesso da mesma deu-se pela facilidade da matéria-prima que podia ser comprada desde as margens do Uruguai até Palmas, PR.,havia muitas varas desde a época dos colonos. Produzia-se banha, salame e fiambre que levavam as marcas Lunardi e Regence, mas eram realmente conhecidas por Produtos Diadema. Vendidos no mercado catarinense, paulista, carioca entre outros. O transporte inicial dos industrializados era feito através de caminhões até o Porto de São Francisco e de lá seguiam embarcados de navios até São Paulo, Rio de Janeiro,ou de caminhão até Joaçaba onde seguia de trem até São Paulo. Por volta dos anos 50,Olires Negri afirma que os compradores esperavam ansiosos pela chegada dos produtos industriais e chegavam a discutir para conseguir ser os primeiros a receber os produtos. Queriam ter garantido o produto diadema.

 

Também em 1936, escolhe-se o local para as futuras instalações empresariais,constroem a casa de máquinas, funcionava à fogo, com a finalidade de gerar energia para o frigorífico. Em 1937, instala-se uma olaria para a fabricação dos tijolos para a construção do frigorífico e das casas. A firma André Lunardi tinha ramo diversificado: frigorífico, extração e exportação de madeira, extração e comércio de erva-mate, serviços de colonização urbana e rural, mecânica ( reparos e consertos de caminhões e auto-móveis ) olaria, destilaria de álcool ( esta teve origem devido ao conflito internacional e ocorreu o raciomamento da gasolina).

 

Vinte e um de novembro de 1940 é a data da criação da Paróquia São Luiz Gonzaga, na ocasião da Festa em honra a Nossa Senhora Da Saúde, consagrada como segunda padroeira. O primeiro vigário foi o Frei Corbiniano Koesher e seu ajudante, Frei Sílvio Berri. A igreja já havia sido reformada mais de uma vez, inclusive ampliada, mas já não abrigava todos os fiéis católicos. Foi assim que nasceu a idéia de construir a atual igreja. O projeto demorou para ser concluído e transformar-se em um dos cartões postais de Xaxim, mas valeu a pena.

 

Por volta de 1941, instalou-se a primeira agência de correio e o primeiro funcionário foi o Sr. Joaquim Leôncio da Silva.

 

As Irmãs Franciscanas chegaram em Xaxim, em l942, e já no dia primeiro de fevereiro abriram a escola por elas dirigida, com 140 alunos matriculados. Na época já havia duas escolas isoladas, uma estadual e uma municipal.

 

Em 1943, construiu-se a primeira casa de saúde: o hospital São Pedro. Localizava-se onde atualmente é o Banco do Brasil, tendo como primeiro atendente o farmacêutico Sr. Domingos José Lunardi, o primeiro médico foi o Dr. Alberto Lago.

 

A primeira cooperativa xaxinense foi fundada em 15/01/1950, com o nome de Cooperativa Mista Xaxinense. Quatro anos depois, construiu-se o moinho de trigo para atender aos agricultores. Também, por volta de 1950, Xaxim ganhou o primeiro cinema, funcionava inicialmente no Clube Diadema. Em 06 de agosto de 1953, apresentava-se o projeto do vereador André Lunardi para criar o município de Xaxim. Em 20 de fevereiro de 1954 Xaxim era o mais novo município emancipado politicamente de Chapecó. A partir desta data, a história xaxinense ganha personalidade própria e independente, passa a planejar, decidir e administrar a região que hoje abrange os municípios de Galvão, São Domingos, Marema, Lageado Grande e Entre Rios. Tendo como primeiro Prefeito nomeado o Sr. Laurindo Dário Lunardi (20/02/1954 - 15/11/54) e como primeiro Prefeito eleito pelo povo, o Sr.Luiz Lunardi (15/11/54 - 15/11/59 ). Coube ao Executivo estruturar a jurisdição política e administrativa do município para que prosseguisse o desenvolvimento do novo município.

 

No esporte, o futebol era o destaque, e dois clubes eram tidos como os melhores: “Diadema e Guarany”.

 

 

 

O Desenvolvimento  

 

Emancipado há 10 anos, com empresas em pleno vapor e desenvolvimento contínuo, estava mais do que na hora de Xaxim conquistar a primeira agência bancária que foi instalada em 12/02/63, tendo como primeiro gerente Sr. Aloísio Germano Turus. Em setembro deste mesmo ano, é instalado a agência do BESC, a 3ª no Estado fato de grande honra aos xaxinenses.

 

Depois, foi a vez da comunicação ganhar espaço com a fundação da Rádio Cultura de Xaxim, cujo objetivo maior era divulgar, expandir e comunicar os horizontes culturais do município. Infelizmente quando Jânio Quadros assumiu, a emissora foi cassada juntamente com outras 30, em todo o território nacional. Com a renúncia de Jânio, 7 meses depois, tudo voltou ao normal.

 

Poucos anos depois da fundação da primeira Rádio de Xaxim, a comunicação xaxinense foi ampliada com uma rede telefônica: "Telefônica Xaxim Ltda”. Sonho realizado em 1965. Vale lembrar que na época Xaxim era um dos únicos lugares a ter sistema de telefonia, água encanada e luz elétrica.

 

O frigorífico “Diadema”, ampliado com a passagem dos anos , tem em 1963, um novo rumo. Mesmo estando em franco desenvolvimento, a empresa foi vendida para S/A Indústria e Comércio- SAIC que prosseguiu no ramo até 25/07/1974, quando foi fundada a Chapecó Avícola S/A, uma unidade das organizações Chapecó, que iniciou suas atividades industriais em 02 de janeiro de 1976, atuando na avicultura, com produção de ovos para incubação e comércio, produção de pintos de um dia, produção de rações e concentrados para aves e suínos, abate e industrialização de aves no mercado interno e externo, bem como produção de adubo organomineral. Esta empresa, desde seu início como ‘Diadema”, trouçe para os xaxinenses oportunidades de trabalho e acima de tudo o desenvolvimento econômico e social da população de Xaxim.

 

Em 1974, a antiga Cooperativa Mista Xaxinense, funde-se com outras menores e formam a Cooperativa regional Alfa Ltda, objetivando prestar serviços em defesa do consumidor, uma cooperativa de produção e consumo. É importante destacar que em 1988 a Cooperativa Regional Alfa Ltda de Xaxim ficou em segundo lugar no movimento econômico. Este é um estabelecimento que cresceu com Xaxim, afirma Maria de Oliveira. Hoje o grande centro de atendimento econômico e social da Alfa está concentrado em Chapecó.

 

A partir de 1970, o empreendimento do Sr. Florindo Folle substitui o antigo barbaquá e monjolo por secador automático e soque de beneficiamento automático. Atualmente, o processo de rodução de erva-mate Folle é completamente industrializado, com capacidade superior a 20 mil toneladas por dia. O produto xaxinense expande-se pelas mais diversas regiões brasileiras e inclusive, internacionalmente, no cone Sul.

 

Resgatando a tradição gaúcha, criou-se em 1984 o CTG MARCA DA FERRADURA. O primeiro rodeio Interestadual de Xaxim foi realizado na Fazenda Farina, área alugada para rodeios. Agora, o CTG tem sede própria, localizado no Distrito de Diadema, município de Xaxim.

 

Outra importante instituição fundada em Xaxim, com o objetivo de bem atender e oferecer educação às crianças especiais de Xaxim e arredores, foi a APAE. A idéia surgiu do Sr. Armando Roncaglio, Sra.Maristela Simonato Zanela e do LEO Clube de Xaxim.

 

O terminal rodoviário de Xaxim, construído entre os anos 80, foi bem planejado para oferecer conforto e bom atendimento aos passageiros.

 

O Coreto localizado na Praça Frei Bruno foi planejado, arquitetado e construído para lembrar e resgatar a bagagem cultural dos imigrantes. Como palanque oficial, o Coreto é a homenagem Xaxinense aos descendentes imigrantes que colonizaram e desbravaram o município.

 

 

 

O início do novo milênio  

 

A década de 90 foi marcada por um crescimento e desenvolvimento bem distinto dos demais. Desde a repentina queda econômica que abalou o município todo, causando prejuízos imensuráveis, até a repentina recuperação. A crise atingiu várias empresas economicamente importantes. Entre elas, a maior empresa econômica xaxinense que sofreu a maior queda de sua história. A população xaxinense enfrentou meses de angústia. Os avicultores, suinocultores e agricultores foram duramente castigados, sobrevivendo a inesperada queda econômica. Mas, graças ao trabalho, força, garra e persistência de todos os xaxinenses, que continuaram, graças aos clubes de serviços e associações e graças ao emprenho esplêndido, esforço incomparável e dedicação extrema do Prefeito Cezar G. Fonini, superou-se a devassadora crise. Algumas empresas recuperaram suas atividades, outras foram substituídas. Mas depois daquela época difícil, Xaxim só cresceu e inovou.

 

As atividades do frigorífico estão normalizadas e há possibilidade de aumentar o número de abates até março de 2001, passando de 280 mil frango/dia para 320 mil.

 

Ainda no primeiro mandato de Cezar G. Fonini, foram criadas duas novas áreas industriais que oportunizaram a instalação de novas, grandes e importantes empresas, em diversas áreas da economia, e um crescimento econômico significativo, oferecendo novos empregos para a população. Uma das metas do Prefeito Cezar G. Fonini era, na gestão passada, diminuir o desemprego e para isto não mediu esforços. Reeleito, a meta continua prioridade e Xaxim passa a conhecer uma época sem igual, que surpeendeu e promete muito mais. Novas indústrias estão para se instalar brevemente em Xaxim, graças a constante busca de Fonini e não se pode esquecer o incentivo contínuo que foi dado nos momentos mais difíceis e continua sendo oferecido aos empresários locais, sejam de pequeno, médio e grande porte. O importante, segundo o prefeito, é valorizar todas as empresas pois todas tem sua parcela de contribuição para o fortalecimento da economia do município.